sábado, 2 de janeiro de 2016

Músico e jurista Murilo Mendes entrevista Valciãn Calixto

Então aos 45 do segundo tempo de 2015, o músico e jurista Murilo Mendes, postou a última de uma série de entrevistas que ele havia iniciado, publicando todas apenas em seu perfil no Facebook. Entre os entrevistados, nomes como Sérgio Sant'Anna (vencedor de 5 Prêmios Jabutis) e Adriane Garcia (Prêmio Paraná de Literatura 2013). Por algum motivo, cuja razão desconheço, Mendes decidiu também me entrevistar. Murilo é um homem vivido, de muita leitura, bastante experiência e muitas amizades, talvez o fato de sempre comentar seus posts, dialogar de igual para igual, apesar da diferença gritante de vivência, tenha motivado essa entrevista que decidi deixar registrada aqui no meu site. Copiei tudo do jeito que Murilo Mendes publicou

Valciãn Calixto - ENTREVISTA
Pois então!
Acabei de postar um texto falando que a mídia social é um meio próprio para o esquecimento e aqui estou agora pedindo que vocês tirem um tempinho, um tempinho só, para ler a entrevista que fiz com o poeta Valciãn Calixto. Poeta e músico, aliás.
Valiãn, um jovem do Píauí, fala das suas influência literárias e musicais, diz que tem raiva de o Torquato Neto ter se matado e anuncia que vai lançar o seu primeiro disco.
Fala aí, Valciãn!

01 - Valciãn Calixto, primeira pergunta? Seu nome é nome artístico? É inspirado em quem? Você é músico e poeta. 
Meu nome é de batismo e registro, Valciãn Calixto. Queria eu ter algum parentesco/descendência do Benedito Calixto, mas vá lá. Meu primeiro nome, todavia, é um truncamento de Valdenira com Luciano, o que me fez herdar a falta de paciência de um e a teimosia do outro. E sim, pelo que produzo, sou músico e poeta, ou seja, falido, para não usar outro particípio.

02 - Quais suas influências, suas primeiras leituras, suas primeiras audições? . Você é de Teresina, terra de Torquato Neto. Torquato cumpriu o roteiro inteiro do poeta maldito, morrendo no final. 
Comecei com paradidáticos, Falando Pelos Cotovelos (Lúcia Pimentel), depois passei para algo mais da sua geração, suponho, com A Queda Para o Alto (Anderson Herzer), O Estudante (Adelaide Carraro), indicações de meu pai, agora busquei algo por conta própria, mulheres, principalmente, não sei bem porquê, como Sylvia Plath, Elizabeth Bishop, Audrey Lorde, Elise Cowen (embora quase não haja material delas traduzido para o português, então junto o que encontro e penso que li um livro inteiro na minha cabeça) e Adalgisa Nery.

Na música as primeiras audições também são por influência familiar, “Domingo no Parque” do Gil, “José” de Drummond, musicado por Paulo Diniz e, acho que nem precisa dizer que descobri o rock e o rap na adolescência.

Torquato não visava poesia (há material que comprove isso), Caetano (Veloso) não visava música, o que aquela turma toda queria era fazer cinema, talvez tenham partido para o mais fácil, prático, não sei, sei é que se destacaram pelo que não visaram de início e reverberam até hoje, a raiva (é egoísta pensar assim e que seja, tenho a velhice para me arrepender, o purgatório, no mínimo) que tenho por Torquato ter se matado é que poderia estar fazendo algo pelo Piauí, não há quem faça, ele, querendo ou não, possuía acesso e contato, o que poderia ser bom e usado por uma geração como a minha, pois é função do artista também garimpar novas vozes, não está na bíblia, mas é.

03 - O que é a poesia, Valciãn? 
Segundo meu irmão, é falar abstratamente das coisas, segundo o escritor piauiense Agostinho Torres, poesia é magia no sentido de transmutar/alterar o estado das coisas, no caso da Literatura, ressignificando símbolos, significantes etc. Minha concepção parte da fotografia, captura, cristalização de um momento, estado, sentimento, de modo que se uma imagem vale mesmo mil palavras, a poesia com várias imagens é o ouro que tanto buscavam os alquimistas e a magia mencionada ali, conforme o conceito do Agostinho.

04 - Você pôs em sua página usa a seguinte frase: “Morre Lemmy e nasce o filho da Malu Magalhães. É o que chamam de esperança”. Pedir para você comentar a frase parece impróprio, pois ela é clara demais. Mas eu vou pedir mesmo assim e você comenta se quiser. 
Nunca ouvi Motorhead (nem agora que o Lemmy feneceu), escutei a Mallu no tempo em que ela aparecia com o Hélio (Flanders) e hoje nem mais o Hélio ouço, então acho que só quis parecer mesmo idiota e irônico, com maior tendência para o primeiro, óbvio.

05 - Você acha que a internet é meio próprio para divulgação de textos literários? Você conhece alguém que sabe de cor um poema de um autor desconhecido postado na internet? 
Pela ‘Teoria da Comunicação’, penso que é um canal/meio/veículo e que o lance é atuar em todas as frentes possíveis, analógicas e digitais, para no final, ter um mínimo de rendimento, formação de público, respeito ou o que o autor buscar. Mas no final, tudo meio que converge para a internet, desde entrevista em uma rádio que pode virar um podcast no seu site, como uma matéria sobre seu lançamento numa rede de televisão, que DEVE ir para o seu canal no Youtube. E há quem deva saber de cor poema de autores desconhecidos, afinal é desconhecido para nós.

06 - Faça o comentário que você quiser, Valciãn. 
Há no Brasil inteiro, no Piauí não é diferente, uma par de gente esperando aquele edital mofado de 2000 ser liberado para publicar o primeiro livro. Publique seu livro por uma editora pequena, venda você mesmo, contraia uma dívida com a editora, veja depois se é isso que você quer para sua vida, do contrário delete o blog ordinário e desatualizado com o nome mais icognoscível possível que você mantém na internet. Vale o mesmo para quem quer lançar disco.

07 - E informe meus dez leitores sobre a sua produção. Um grande abraço e obrigado. 
Então, em abril de 2015 lancei meu primeiro livro de poesias, “Reminiscências do caseiro Genival”, estou pensando em ver algum lançamento mais alternativo para 2016, mas é cedo ainda para falar sobre, até porque estou focado no momento no lançamento do meu primeiro disco, que deve sair em fevereiro com participação do coletivo Geração TrisTherezina (vide Page no facebook). Tudo isso pode ser acompanhado através do meu site, www.valciancalixto.com.br ou pela minha página no Facebook: Valciãn Calixto. Obrigado pela oportunidade e interesse. Que 2016 seja bom para todos os que correm atrás.




Nenhum comentário:

Postar um comentário